Skip to main content

O primeiro projeto LIFE liderado pelo município vai tornar Lisboa mais verde e “mais cool”

As projeções de aumento da temperatura e diminuição da precipitação média anual ao longo deste século tornam premente adaptar as cidades às alterações climáticas.

O projeto LIFE LUNGS (acrónimo de «Towards a more resilient Lisbon UrbaN Green InfraStructure as an adaptation to climate change») tem como objetivo contribuir para tornar a cidade mais resiliente ao aumento da temperatura, atenuar os efeitos de onda de calor e de escassez hídrica que se prevêem de maior frequência no futuro próximo, enquadrando-se nas políticas climáticas adotadas pelo município. O projeto ocorre entre setembro 2019 e agosto de 2024.

saber mais

Cobertura arbórea

já plantámos 35.201 de
240.000 plantas

Prados de sequeiro biodiversos

já temos 2,6 de
10,6 hectares

Ações de implementação

O projeto LIFE LUNGS integra 6 ações de implementação

Melhoria, instalação e operação de prados de sequeiro biodiversos

Esta ação engloba a instalação, melhoria e operação de prados de sequeiro biodiversos em áreas do Parque Bela Vista e Alto da Ajuda, como uma alternativa mais adaptada às alterações climáticas que os relvados urbanos convencionais. Essas áreas são compatíveis com o pastoreio de animais (ação C2), solução testada pela primeira vez numa área de uso intensivo.

Rebanho de ovelhas como agente urbano não mecânico de controlo de vegetação e conservação do solo

Esta ação centra-se a instalação de um sistema não mecânico de controlo de vegetação constituído por um rebanho de ovelhas, como alternativa ao controle mecânico tradicional de vegetação, mas também como parte integrante do ecossistema. Este rebanho será apoiado por um pastor, com capacitação para comunicação com a população, contribuindo assim para a sensibilização e divulgação de informação.

Medidas de gestão da água

Esta ação engloba um conjunto de sub-ações relacionadas com medidas de gestão da água que permitem, através do desenvolvimento de serviços de ecossistemas, lidar com a escassez de água e eventos de precipitação intensa, dois dos principais impactos das alterações climáticas em Lisboa.

Aumento da densidade cobertura arbórea ao longo da infraestrutura verde urbana de Lisboa

A infraestrutura verde contribui diretamente para adaptação climática. Com o aumento da temperatura média, de acordo com vários estudos e previsões científicas, o efeito de ilha de calor urbano é uma forte ameaça. As cidades estarão melhor adaptadas, quando mais consolidada for a sua infraestrutura verde. A sombra tem uma ação concreta na redução da temperatura da superfície, sendo as árvores consideradas uma das melhores soluções para combater o efeito da ilha de calor urbana.

Esta ação consiste na plantação em massa de árvores e arbustos em várias áreas da cidade, desde espaços verdes a zonas de enquadramento, incluindo em arruamentos onde podem fornecer sombra diretamente a prédios e calçadas.

“Open Desk Office” para promover a replicação e transferência do projeto na Área Metropolitana de Lisboa

Esta ação engloba a maximização dos resultados do projeto - no caso, de medidas de adaptação às alterações climáticas - noutras áreas verdes urbanas, pertencentes à CML e privadas, não diretamente abrangidas pelo projeto. A adaptação às alterações climáticas é tão mais bem-sucedida quanto maior for a área da infraestrutura verde a adotar o mesmo tipo de soluções.

Resultados de transferência e replicação através do envolvimento de parte interessadas

As cidades europeias e, especificamente, do sul da Europa enfrentam desafios comuns de adaptação climática: aumento da temperatura, risco de escassez de água ou inundações extremas. A infraestrutura verde pode atuar fortemente na regulação do clima.

Esta ação pretende garantir a transferência e a replicação, fundamentais num projeto de demonstração, assegurando uma dimensão internacional pois envolve o município de Málaga (AM) mais diretamente, mas também outras partes interessadas nacionais e europeias.